31/08/08

Finito

A temporada chegou ao fim. Este ano para além do habitual "Abraço à Baía" e do ainda chique "Baile das Chitas", foram organizados outros eventos. Miss Pearls & Companhia estiveram presentes. Na praia o Voleibol por influência de Pequim esteve em alta, e tratando-se de um desporto de praia, o biquíni foi apropriado, seguindo aliás a opinião da voleibolista alemã Laura Ludwig, presente nos Jogos Olímpicos. E como bem dizia o jornal que todos leêm "As jogadoras exibem os corpos mas não se sentem usadas".
Por outro lado, a "Festa do iPod" foi muito apreciada e os respectivos convites fizeram-se por via aérea e em piloto automático.
Voltaram a ser organizadas as tardes da "sueca", intercaladas com as tardes do "king". Já a "bisca" e a "canasta" tiveram pouca adesão.
O tiro ao alvo ainda foi tentado, mas houve quem achasse que poderia ser crime organizado. Não teve grandes adeptos com excepção de alguns brasileiros que sentiram que poderiam ter vantagens competitivas. As corridas de touros fizeram parte do elenco de festas, apesar da ausência dos forcados amadores da Chamusca que se encontravam em S. Paulo, Nova Iorque e Londres a praticar outras touradas.
Tirando isto, houve muitos banhos, mas ondas só nos Salgados. Na rua dos cafés para além dos folhetins iniciados nos anos anteriores, a Feira do Livro incentivou adeptos dos países do sul a visitar os países nórdicos. A Colecção Outono/Inverno foi apresentada a 16 de Agosto, com o tradicional nevoeiro da zona balnear, antecipando as visitas à Finlândia.
O ensopado de enguias, mais à moda de Vila Franca de Xira, obrigou a malta a pensar na rentrée. Para o ano voltaremos com outras novelas, com os mesmos protagonistas e oxalá mais um.

30/08/08

O canto das sábias

Mais vale rir que chorar

Mulheres e homens "Virgo"

Primeiro as da casa e algumas de quem gostamos: Gloria Estefan, Anastacia, Agatha Christie e outras que representam uma viragem nos costumes: Twiggy, Joyce Brothers.
E ainda aquelas que conhecemos os maridos e lhes achamos graça.
Depois alguns que nos marcaram por alguma razão: Ingrid Bergman, Greta Carbo, Lauren Bacall, Raquel Welch, Sophia Loren, Jcqueline Bissett.
A seguir alguns homens que nos ajudam a rir: Peter Sellers, outros que não têm época: Maurice Chevalier, Jose Feliciano e finalmente um cartoon famoso: Mickey Mouse.

29/08/08

Ingrid Bergman(1915-1982)

Ingrid Bergman nasceu em Estocolmo, Suécia a 29 de Agosto de 1915. Morreu no mesmo dia em que nasceu, 67 anos depois.
Era linda e sueca, faria hoje 93 anos. Alguém duvida da beleza e da sensualidade sueca?

28/08/08

Led Zeppelin UK 2008-2012?

Led Zeppelin back in the studio?
Quase vinte anos depois e em antecipação aos próximos Jogos Olímpicos, Londres prepara-se para o regresso dos veteranos.
Fico a aguardar, porque há coisas que gostamos de antever.


22/08/08

Os Nelson deste país

Depois da medalha de ouro de Nelson Évora em Pequim, a pergunta que fica é quantos outros "Nelsons" desconhecidos e aos pontapés às pedras existem em Portugal?
Eu conheço pelo menos um que apesar de ter nascido em Portugal e ser de origem angolana, teve de sair pela mão amiga de alguém que lhe reconheceu potencial para ter a sua oportunidade.
E a pergunta fica mais uma vez, quantos outros existirão num país onde, como dizia Miguel Gaspar no Público, não se gosta de desporto, mas sim de clubes desportivos?
Para Nelson Évora, orgulho nacional, o merecido aplauso de parabéns. Para todos os portugueses também porque apesar de tudo, não é feito que se consiga com frequência.

19/08/08

Londres,UK 2008

Correndo as ruas de Londres é difícil deixar o multi culturalismo de lado. Diferentes etnias umas mais emigrantes que outras populam espaços, galerias, museus, mercados,ruas ou universidades. Os Campus ainda estão vazios, mas não tarda que cheguem os primeiros estudantes que irão engrossar um corredor de gente à procura de outros saberes. Apesar da falta de sol, apesar de muitos "if" que continuarão nos diferentes países de origem, os portugueses vão gostar do fish and chips e qualquer semelhança com os douradinhos do "Capitão Iglo"é pura má língua.
Em Londres só andar na rua e passear nas margens do Thames enche a alma de risadas. E risadas é exactamente o que um país cheio de sol como o meu não tem. E pouco a pouco o meu país vai tendo menos dias de sol e mais dias cinzentos, com crimes e medos. E assim como assim, vou ali ver aqueles que fazem uma despedida de solteiros num pedacito de areia que encontraram numa das margens do rio, sem que ninguém os incomode. Assim como assim, vou ali mais um bocadinho ao Tate Museum, assim como assim vou ouvir um concerto no parque e assim como assim vou passar pelo Borough Market e comprar umas costeletas de borrego juntamente com um queijo do Lake District. Ah! e tudo isto sem entidades tipo Asae a meter o bedelho. E para os mais novos a música é sempre diferente, mesmo que a letra e o artista nos pareça "dejá vue"

17/08/08

15/08/08

Gianna Nannini e Gianni Morandi



Sem acentos e cedilhas fica uma variante do intercalar das 15. Amanhã é outro dia, MO!

14/08/08

Immigrant Song- Led Zeppelin

Algarve 1972

Barcos de Pesca

Praia da Rocha

Será que o meu porteiro é que tem razão?

Primeiro foi a questão das massagens proibidas em terras algarvias, pois não fosse o diabo tecê-las e a malta estrangeira pensar que isto é a Tailândia. Agora é o ruído das madrugadas e o álcool dos espanhóis que tem vindo a preocupar alguns responsáveis do sul do país, e que apenas representa vandalismo, que tem de acabar. Ainda se comprassem as bebidas em território português,vá, que não vá, agora essa de virem munidos de arcas frigoríficas é que já é de mais. Digo eu!
Com todos estes constrangimentos o "Allgarve" está a ficar difícil e para um país que entende o turismo como uma rampa de salvação para o país fervilhar em crescimento e evolução, nem o "Allgarve" morre, nem o país almoça. O meu porteiro é que tem razão: "É o bandalismo!"
E agora, fico baralhada, afinal quem é que tem razão: o meu porteiro Sr. Melo, o nosso ministro Pinho - com o conceito do "Allgarve" ou os responsáveis algarvios com as praias e os hotéis em plena época turística? E já agora, será que esta é a altura apropriada para proibir e afastar, os tais que vieram à procura do sudoeste da Europa?

Get Smart 2008

Sandie Shaw - Puppet On A String (1967)

13/08/08

Joss Stone like a "puppet on a string"

A cantora Joss Stone irá interpretar a canção oficial da campanha presidencial por Obama. O regresso do estilo barefoot de Sandie Shaw com Obama em pano de fundo e em que o "apelo multiracial" foi o elemento impulsionador, não agradou a alguns. Os americanos não gostam de andar a reboque e esta história do estilo europeu, pode sair caro a Obama. No entanto, tal como aqui já disse, este é o canal à medida da era global. E a América tem de ter um candidato do mundo, para que o Mundo o ajude e para que todo o mundo fique à espera de ser ajudado.

Teodoro não vás ao sonoro

Não há cinema igual ao mudo cá p'ra mim
Pois sendo mudo me diz tudo mesmo assim
P'ra mim o mudo é que há-de ficar de pé
São mais bonitas as fitas sem banzé

O meu sistema com o mudo não se dá
Só o sonoro me diz tudo quanto há
Porque o sonoro além de mais alegre
Tem outro estilo e ouvi-lo só faz bem

Teodoro não vás ao sonoro
Teodoro não sejas ruim
Teodoro repara que eu choro
Se fores ao sonoro não gostas de mim

Teodoro não vás ao sonoro
Teodoro não vás mas eu vou
Porque adoro na vida o sonoro
E há-de ser Teodoro, quem chorar, chorou

Teodoro não vás ao sonoro
Teodoro não vás mas eu vou

O silencioso tem sem par mais distinção
Não se ouve a Greta que a falar lembra um papão
Por isso o mudo é que há-de ficar de pé
Pois sendo mudo diz tudo sem banzé

Podes brincar e blasfemar que ninguém crê
Porque é estupendo ouvir cantar o Chevalier
E o sonoro além de mais moderno
É uma alegria de orgia que faz bem

(Publicado em Buscas 10, November 2005 )

Lin e Yang em playback

Entre a cara perfeita com um lindo vestido e a honra de ter emprestado a bela voz, as duas meninas cumpriram o seu dever olímpico. Toda a gente ia com a sua voz, excepto Lin Miaoke que levava uma emprestada por Yang Beiyi. O brilho do perfeito e o dever da nação, num país que ainda não saiu de um espartilho de preconceitos. Entre dois mundos em que um quer mostrar o melhor e o outro está à espera de ver o pior alimentando jogos de poder.
Resta dizer que o cinema americano fez o mesmo quando passou do mudo ao sonoro. As vozes eram igualmente emprestadas por desconhecidos que continuaram o brilho dos artistas que ainda não tinham encontrado a sua voz.

12/08/08

Diagnóstico estatístico, será?

Internet addictions: A real medical menace?

"Alcohol, drugs, food, sex, and even shopping are all candidates for medical treatment and are recognized as genuine mental disorders, so what about the Internet? Internet addiction -defined as "excessive gaming, sexual pre-occupations, and email/text messaging" - is becoming so common that at least one psychiatrist says it merits inclusion in psychiatry's official handbook of mental illness, the "Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders."
Dr. Jerald Block of the Oregon Health and Science University is the latest voice pushing for this inclusion, noting that tech junkies display genuinely debilitating behavior, including drug-like cravings, withdrawal, and a constant need for more and better gear - just like a substance addict might exhibit.
But other doctors comment that Internet addiction, while it may be real, is too new of a condition and needs further study before being medically classified. There might be something to this: No one wants people being medicated or
institutionalized if they aren't genuinely ill.
The "Manual of Mental Disorders" won't be published again until 2012, but an early draft will arrive for public comment in 2009. Meanwhile, mind docs say the problem is growing, now possibly affecting up to 10 percent of Internet users. Recent studies are surprising, indicating the problem is worst not among game-obsessed teens, but rather among middle-aged women who stay at home, constantly on the computer as a way of connecting to the outside world.
Is computer use (or computer downtime) causing a problem in your life? If so, you might be an addict. But you'll have to wait a few more years to find out for sure.
"
(Publicado no Yahoo, 24 Março, 2008)

11/08/08

Entre o vidro e os espelhos

A blogosfera é uma pequena cidade virtual com bairros, jardins, lojas, teatros e cinemas, bibliotecas e livrarias, pessoas, coisas e loisas. Tal como acontece com outras cidades, gostamos mais de umas, detestamos outras. Visitamos certos locais, uns por rotina ou por gosto, outros porque sabemos que ali encontraremos sempre alguma coisa que nos sirva, passamos por outros só por curiosidade. Recomendamos aos amigos, recordamos os aniversários, contamos histórias que ouvimos, lemos os livros que nos recomendam, entramos e tomamos um café, pomos a conversa em dia.
Há dias em que nos vestimos melhor e gostamos mais do que vemos, outros em que se não fosse a superstição partíamos os espelhos que dão valor à imagem. Uma coisa sabemos, uma vez dentro, sair é difícil porque os amigos ou a comunidade não deixa, porque nos sentimos obrigados a cumprir uma missão, porque temos gozo no que fazemos. E, sempre no mesmo lugar, vamos dizendo olá, refazemos as histórias e a história, criamos amores e desamores, levamos e trazemos pequenos ódios e raivas de estimação, voltando no dia seguinte, para fazer as pazes com o dono da loja ou com a vizinha que, por um instante, nos estragou o estaminé com um anúncio publicitário. Respondemos com um teaser com o objectivo de manter a clientela e angariar novos curiosos.
Como os espaços e as cidades não vivem sem a alma das gentes, temos de agradecer a todos os que nos visitam e nos ajudam a manter as lojas com artigos interessantes, as galerias com exposições para visitar e pessoas para encontrar. Entre vidros e espelhos, entram visitantes de muitas cores que deixam e levam lembranças pertencentes a muitos lugares.
A minha loja não teria passado de anteprojecto, se a minha amiga Miss Pearls não a tivesse visitado logo no dia da pré-inauguração. É que ainda os preparativos estavam no ar e já a ela se afirmava adepta do espaço, confiante na dona da loja e desejosa de a recomendar aos amigos. Sabendo-me pessoa curiosa, pouco dada a reconhecimentos públicos e com pouco a acrescentar a algo que já outros tivessem dito, achou por bem "obrigar-me a continuar". Longe dos olhares e dos ouvidos dos mais próximos, por serem eles os nossos maiores críticos, mas também por ser deles que esperamos o reconhecimento e a apreciação do que fazemos, o anteprojecto passou a projecto, a inauguração foi feita, até porque no fim de contas, os vidros partem-se, segredos leva-os o vento e os espelhos não roubam a alma.

09/08/08

Arquitectura no mundo

Frank Lloyd Wright,USA

Dubai

08/08/08

Pequim em movimento

Na cultura oriental coisas, seres ou elementos não morrem, renascem. Daí não ser estranho que na construção de novas cidades e prédios, a alma da cidade antiga passe para a nova. O espírito pertence ao mentor, o líder passa o caminho a pessoa encarna o desígnio. Espírito e conceito estão mais do que interligados na reconstrução de Pequim. "A eternidade não deve habitar a arquitectura, mas sim o arquitecto"(Simon Leys, Ensaio sobre o China, Cotovia 2005).
A China de hoje passará a ser diferente segundo a segundo, mas o espírito continuará a habitar as ruas e os quarteirões porque apesar de todos iguais todos serão diferentes. O que interessa é quem lá vive, e as pessoas são diferentes e os arquitectos que lá permanecem deixarão os materiais até ao dia em que outro venha ditar novo conceito. Para os chineses copiar é uma arte e um segmento de mercado legal e há muito utilizado. Aliás essa tem sido a capacidade da economia chinesa, fazer rápido o que outros já inventaram e distribuir num ápice.

04/08/08

Domingo à tarde II

Numa época em as pessoas se habituaram a lidar com o trabalho e o lazer de forma planificada, ninguém se lembra de como era o dia a dia há uns anos não muito longínquos. As horas de trabalho semanais eram bem mais longas e até muito próximo do 25 de Abril -referência para muitos- as empresas e escritórios funcionavam ao sábado e as pessoas trabalhavam todo o dia. Com a chegada da "semana americana"alguns passaram a ter o sábado à tarde e o domingo, enquanto os restantes continuavam trabalhar durante todo o dia de sábado, descansando ou folgando ao domingo.
O domingo representava o dia de paragem, e era ao domingo à tarde que a generalidade das pessoas podia usufruir de descanso. O lazer do domingo à tarde dependia das possibilidades de cada um, e possibilidades naquela época significava classe social. O domingo de manhã começava para a maioria com a ida à missa, seguida do almoço. Para os da "semana americana", a missa era seguida do almoço que as criadas tinham cozinhado, enquanto que para os outros era seguido da refeição que um deles tinha feito depois da missa. Elas, as criadas, também já tinham ido à missa mas tinha sido às 6 ou 7 da manhã. Os patrões iam à missa do meio dia. Os jovens mesmo que se tivessem deitado às quatro da manhã - não pela discoteca que isso não havia, mas por terem estado a falar com os amigos noite fora, discutindo filosofia e mudando o mundo, a troco de uns cigarros roubados e umas músicas mais modernas - tinham de se levantar para assistir religiosamente à cerimónia com a família.
Lembro-me que quando começaram as missas dos sábados à tarde, e que "contava" para substituição da de domingo ter sido um contentamento lá em casa. No início a minha mãe achava que aquilo não tinha o mesmo significado, além do mais, já não estávamos em jejum para a comunhão. Mas a partir de certa altura, ela própria dizia "vamos à missa das 7 no sábado à tarde, que já ficamos despachados". Eu sempre achei esta característica da minha mãe muito divertida. Se era para despachar alguma coisa, fazia-se. E nós apreciávamos e incentivávamos esta generosidade materna, apesar dos acólitos do meio dia serem muito mais giros!
Com a "missa para despachar", passamos a ter outros programas que vieram substituir o almoço seguido de passeio pela marginal até ao Guincho ou a Sintra com paragem no "Preto das queijadas", ou apenas a Belém porque já era tarde. De vez em quando o meu pai achava que podíamos ir lanchar mais longe, para desassossego da minha mãe porque íamos regressar muito tarde para o jantar, para além dela achar que o meu pai se punha ao volante para nunca mais parar. Chegamos a ir lanchar a Évora.
Por outro lado, as nossas criadas, pertenciam à casa e tinham 2 ou 3 horas para passear com o seu magála e ouvir Nelson Ned, enquanto faziam horas para regressar e fazer o jantar. Mas também para elas os tempos iam sendo melhores, com mais lazer, tinham melhorado! Até aí, acabadas de chegar da aldeia iam passear connosco, levando-nos ao jardim e continuando o trabalho da semana no jardim com "os meninos". É claro, que tendo chegado da aldeia, era um mundo diferente que elas consideravam luxuoso. No fundo todos se divertiam de forma muito ingénua e simples, sem grandes exigências ou extravagâncias e agradecendo o que havia.
Os tempos eram bem diferentes e hoje, que nos queixamos que o tempo não chega para nada e que reivindicamos lazer com qualidade, deveríamos pensar que todos, incluindo patrões e criadas passámos a utilizar as nossas horas à medida dos nossos desejos e de forma bem diversa. Umas vezes com coisas que nos dão mais prazer, outras com menos. Podemos ter perdido coisas importantes da estrutura familiar, mas temos obrigação de saber escolher ou reeducar a relação trabalho/lazer e depois trabalhamos porque também nos diverte o que fazemos, mesmo com as dores de cabeça e um blogue pelo meio.

03/08/08

02/08/08

A vida não é só blogues


As coisas que uma pessoa encontra na pesquisa de imagens do google. Muito sensato e bem observado. E como a vida não são só blogues o que é que você vai fazer domingo à tarde?

01/08/08

Pessoa, Natália e outros poetas

Com as palavras de Pessoa a licenciatura teve o seu curso. Com palavras diversas alimentou a formação e cresceu em altura. O cabelo diminui no dia em que pela rua fora e perto de um portão o rapaz a abordou. A dança só a conseguiu no dia em que pelo canto do olho sorriu, e não dando o braço a torcer admitiu que o amava. O rapaz tornou-se cavalheiro e pediu a dama em casamento. Hoje passaram uns anos, quantos? Muitos, poucos ou alguns, não interessa. Consta que pelo meio nasceram rebentos do próprio sangue, mas o melhor da festa continua a ser a capacidade de rir e de levar a rapariga às alturas de um avião. Quanto ao rapaz tornou-se cavalheiro atento num espaço de dimensões construídas à volta de uma instituição: a Instituição do Matrimónio.

Talentos com connaisseur por perto

Olhar para uma pedra e reconhecer uma jóia em bruto é característica de connaisseur. Para além da pesquisa ser essencial, o tempo e a dedicação da análise são elementos igualmente importantes se não fundamentais. A maior parte das vezes não vemos e apenas olhamos. Os mais distraídos são muitas vezes os que melhor identificam o que não é óbvio à primeira vista, e pela simples razão, de que algo nunca visto nos salta à atenção num dado momento. É claro que às vezes as pessoas não passam a informação que querem, por isso é necessário perder tempo a olhar, a ver e a analisar.
Reconhecer pessoas com talentos diversos e não esperados requer oportunidade. Ter a oportunidade de mostrar características escondidas e ter igualmente a sorte de ter do outro lado olhos ou lentes com igual tempo de oportunidade é uma mais valia do primeiro e uma característica de connaisseur do segundo.

Benny Goodman - Roll 'Em (1942)

Mankind in review

"Not everyone is motivated by self-interest, however; a timid housewife shows compassion when she finds him on the street, whilst his loyal girlfriend decides to stand by her man rather than opt for an easy life.
Loyalty, Principles, Belief and Retribution clash broadswords with Dillusionment, Hope, Angst and Despair. The uglier side of human nature in review" by Alex Davidson.
Em 1947 ou hoje ou outrora os temas com que nos debatemos sempre. Conhecemos, não conhecemos a natureza de quem vive ao nosso lado? E eu e tu e nós, será que algum dia chegamos a saber quem somos e para onde vamos?
Princípios, lealdades, vida e morte, fé e ausência, desilusão, ingratidão, desespero e esperança. Apesar de um homem fora do seu tempo ser quase sempre um excêntrico, os livros e os filmes perpetuam ideias, argumentos, ciência, história ou religião.

Os accionistas

Race on the Candidate “We live in a time in the world where everyone in the world must understand that prejudice is a sickness,” Wonder, who is blind, told the crowd before he started with a three-song set that was cut short by rain. “I’m saying this to you as a man who has the vision of the heart because I am color free.”

Stevie Wonder took the stage at an outdoor rally on the American Legion Mall in Indianapolis to warm up the crowd for Barack Obama. The concert kicked off hours before polls open in Indiana, and he began auspiciously by playing the hit “Signed, Sealed, Delivered I’m Yours.”


Fonte , publicado a 5 de Maio de 2008.