14/03/09

Os Beatles na Universidade

The Beatles, Popular Music and Society é o primeiro mestrado, no género, a ser oferecido por uma universidade, e que a Hope University de Liverpool está a organizar. O tema tem atraído vários interessados, o que não é de admirar. Segundo, Mike Brocken, professor naquela universidade, apesar de haver cerca de 8000 livros sobre os Beatles a análise sobre a sua influência na música popular tem sido pontual e raramente aprofundada por estudos académicos. Apesar das já esperadas críticas da comunidade académica internacional, este é um tema que provavelmente já merece tese de mestrado. Eu gostava de saber como vão reagir em Portugal os nossos académicos sempre desconfiados de teses "à la minuta". E vá lá que a Grã-Bretanha não aderiu ao processo de Bolonha, caso contrário já se previa a atribuição de mais uma fantasia "à la carte". Permitir o estudo de áreas que seriam impensáveis de creditar numa licenciatura de física, engenharia ou literatura em tempos passados é de louvar, mesmo que se possa por em causa a qualidade de alguns temas ou ensino e aprendizagem de outros. Com a devida contenção de créditos, qualquer um pode hoje ter uns lamirés sobre qualquer assunto. E este pode ser o primeiro passo para que continue o estudo de áreas, fora do seu percurso inicial, mas que o podem tornar especialista noutras que nunca tinha pensado. Desde que não fique pelos lamirés, claro está!

10 comentários:

Mike disse...

Bem sei que não fica nada bem dizer isto, mas sempre fui um bocado avesso aos Beatles. Já dos Rollings Stones... ;)
Agora que já desconversei, queria dizer-lhe que achei o seu post muito interessante, GJ. :)

Luísa disse...

Nunca fui avessa aos Beatles – ao contrário do Mike – mas também nunca fui fã. Embora reconheça que têm canções inspiradíssimas; e que tiveram um papel decisivo na História da música popular do século XX. Acho que um mestrado sobre o assunto se justifica perfeitamente. E deve ser bem interessante, Grande Jóia! :-)

ana v. disse...

Os Beatles foram um fenómeno mundial sem paralelo, goste-se ou não (eu gosto muito de algumas canções, de outras não gosto nada). Mas parece-me completamente justificado este mestrado. Que notícia interessante, GJ!

Grande Jóia disse...

Mike, não fica nada mal dizer que sempre foi avesso, mas já agora porquê? Será que eram ciúmes...de qual deles? Se disser que eram do George está desculpado, se disser que nunca foi capaz de cantar a "Michelle" à sua namorada também:)
Pode voltar para desconversar que está perdoado, e já agora traga os Led Zeppelin...;)

Luísa, eu penso que ficamos todos marcados pela música dos Beatles, independentemente de sermos das décadas de 50,60 ou 70. Tal como o Elvis (apesar de o estilo na época me dizer pouco, os Beatles revolucionaram o modo de pensar e ouvir música na Europa e foram os primeiros ingleses a ser recebidos na América com um aeroporto cheio de fãs.E deram lugar a que outros movimentos tivessem lugar, no resto do Mundo.
O mestrado deve ser muito interessante e eu só pela curiosidade era rapariga para o fazer.

Sim Ana, também penso que esta iniciativa é daquelas que eu gostaria de ver por aqui.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Avesso aos Beatles nunca fui.Adorei algumas músicas (os álbuns Sergeant Peppers e Magical Mystery Tour- com aquele fabuloso "Fool on the hill"- são os meus preferidos), mas também produziram algumas xaropadas inaudíveis.

Grande Jóia disse...

Também é verdade, Carlos,daí ser interessante o mestrado.

Mike disse...

Mesmo reconhecendo o talento incontestável e o sucesso sem paralelo, sempre os achei muito certinhos, GJ... demasiado para meu gosto. Quanto a cantar (risos), outrora fui dos piores alunos em canto coral, apesar de ter um bom ouvido que me levou para a percursão. :)
Led Zeppelin?... sim, sem hesitar. :D

ana v. disse...

Certinhos, Mike????? Uns tipos que se afirmaram mais famosos do que Jesus Cristo e que davam entrevistas na cama, nus???? Naquele tempo eram tudo menos certinhos...

Grande Jóia disse...

O escândalo que a entrevista na cama deu. E a Yoko que não tinha nada de belo...:)
E o terem dito que eram mais famosos que Jesus Cristo só agora teve a desculpa do Vaticano.
Nada certinhos, só se for nos acordes:)

Mike disse...

Nos acordes. E relembro-vos que a entrevista foi do John Lennon. Os outros nem se sentiram bem... uns certinhos, é o que é. (risos)