08/03/09

Um Porto cheio de eventos

Ainda dizemos que o Porto não tem eventos e é uma cidade sem graça! Pois este fim de semana o difícil era conseguir ir a todos, ser visto em todos e ter tempo para apreciar o que se nos oferecia. A selecção ia desde a passagem pela Exposição de Camélias no Pavilhão Rosa Mota com visita ao Palácio de Cristal e Casa Tait, o must da inauguração do pavimento da autoria de Ângelo de Sousa na Miguel Bombarda, e visita às galerias de arte, a actual Feira do Livro, a participação na prova da Essência do Vinho no Palácio da Bolsa, a visita ao Festival de Gastronomia de Trás-os-Montes no Edifício da Alfandega, já para não falar das múltiplas sugestões para assinalar o Dia Internacional da Mulher. Estamos de vento em popa e ainda bem que as cidades começam a ter coisas para ver e que finalmente as pessoas percebem que há mais do que centros comerciais. Continuamos a pecar na divulgação, mas enfim vamos podendo dar de beber à alma porque a dor já está está mais do que saciada. O importante é criar o hábito que o monge vem de seguida. Em Londres, por exemplo, o tempo não interessa a quem lá vive porque uma pessoa nunca se aborrece, tem sempre coisas para fazer. E mesmo que a determinada altura a falta de sol nos inquiete, rapidamente encontramos soluções para gente de todas as idades, e esta é a grande diferença. Nós somos aborrecidos não por causa do tempo mas porque não temos eventos que nos agucem a curiosidade e a distracção. Eu até estou desconfiada que é por isso que os nossos políticos nos tentam divertir com as suas larachas. E por partidas, isto vai ser uma alegria na cidade e tudo o que se inaugurar a partir de agora, vai ser algo já previsto pelo anterior autarca socialista, e que só agora se fez por "teimosia" do actual. A campanha começou minha gente, e é ver quem é que mais puxa a brasa à sardinha. Como dizia António Barreto sobre outro assunto no jornal Público "até é possível que seja legal mas não tenho a certeza é que seja honesto". Eu também concordo, não tenho a certeza que esta gente seja séria ao reclamar a obra para si quando na verdade o dinheiro é de todos nós, e neste momento o que me interessa é que foi feita, independentemente de quem a pôs no planeamento da autarquia.

5 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Cheguei aqui via Porta do Vento e deparei logo com um posts sobre a minha cidade natal. Depois fui lendo e perguntei-me. Mas como é que eu ainda não tyinha descoberto esta Grande Jóia?
Está convidada a colher uma flor lá do meu Rochedo. São de ontem, mas estão ainda viçosas.

Mike disse...

Nós não dizemos nada disso do Porto, GJ. E as vozes que dizem isso são vozes da reacção. ;)
Eu cá nunca me aborreci na Invicta, ora. :)

Grande Jóia disse...

Carlos,as grandes jóias têm de ser guardadas mas de nada servem se não forem admiradas:)
Obrigada pelo seu amável convite, são todas lindas, vou tirar uma de cada.

Mike, eu sei que é excepção e que sabe que o Porto é muito diferente do que dizem as vozes da reacção:)
Apesar disso há muita gente que continua a não conhecer o que esta cidade tem para oferecer.

Mike disse...

Ah mas isso não é culpa do Porto e sim dos Tripeiros (muitos risos... que me vão sair caro) :D

Grande Jóia disse...

Dos tripeiros com lenço e do FCP, ai ele é isso...? Deixe que ainda o apanho quando menos esperar. (risos)