07/05/09

Aqui ninguém faz farinha!

Fico na dúvida se sou eu que estou com idade a mais, ou se quem escreve nos jornais é demasiado novo. Digo isto, porque a Farinha Maizena dava-se, sim, às crianças e não foi nenhuma gaffe do ministro. Não a confundiu sequer com Cerelac ou Milupa, que estas ele nem deve conhecer.
Era feita como um leite creme e o pequeno almoço de muita criançada. Eu que o diga! A papa Maizena a escaldar, bem quentinha acabada de fazer e pronta a comer mesmo nos dias de calor. Havia a farinha Pensal que era de cacau e todos gostávamos mais e a farinha 33 um pouco mais antiga. Havia quem contasse muita coisa e quem tivesse gosto de ouvir, também.
Havia “lá na Rua da Vitória, 46-48, candeeiros bem bonitos modernos e originais que satisfaz(iam) plenamente o cliente mais afoito”, havia “leite de colónia para a (nossa) pele realçar” e havia “o boca doce (que era) bom (e) bom é, diz(ia) o avô e diz(ia) o bebé” e havia e não havia gente que nos aviava como podia e sabia, e hoje somos embrulhados e despachados com informações e discursos. É "trigo limpo Farinha Amparo"e quem vier atrás que feche a porta sob pena de levar com a papa na cara, que connosco, portugueses, ninguém faz farinha!

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E já agora, a Pasta Medicinal Couto com aquele fulano a fazer rodar uma cadeira com os dentes. Só de lembrar a imagem até me arrepio!

Grande Jóia disse...

Já está, Carlos.A imagem é tal que juntei uns docinhos para suavizar o arrepio...;)

Mike disse...

Farinha talvez não, mas gato-sapato... ;)

Grande Jóia disse...

E como todos os gatos são pardos...;)