31/07/09

Rod Stuart

Tirando o tangível cabelo e o intangível corte, o tangível Rod Stuart e a sua intangível voz. O charme não tem idade nem género. É um bem intangível.



7 comentários:

Catarina disse...

Ao princípio, há duas dezenas de anos, não gostava do Rod, mas depois, quando se deixou das "maluquices" e amadureceu, comecei a gostar de o ouvir, embora o cabelo não seja do meu agrado. "Have I told lately that I love you" é uma das canções que aprecio muito. Obrigada por ter feito este post, tanto mais que "Wonderful World" me traz gratas recordações.

JúliaML disse...

nunca gostei do género de homem, hórrivel :-D mas gosto do artista.

b.f.s

Mike disse...

Bah!... a Catarina e a Júlia estão a ser simpáticas. Para mim é intangível o que não gosto desse tal de Rod. :)
Mas o homem sempre teve sucesso entre as senhoras. :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A música é gira. Ponto.

RAA disse...

Esqueci-me de dizer-lhe no outro dia que um dos grandes concertos a que assisti foi o do RS, no estádio do Belenenses, há vinte e muitos anos...

GJ disse...

A música do Rod Stuart é um encanto. Ponto.

RAA, deve ter sido um espectáculo fantástico. Em que ano foi?

ana v. disse...

Já o vi ao vivo também, e tenho de reconhecer que ele em palco se transfigura (mesmo com aquele impossível cabelo...). E tem um repertório fantástico, de um gosto inatacável.