15/09/09

Uma questão de bóias

"Estamos todos debaixo de água, mas ele entende que é igual morrer afogado a 12 metros de profundidade ou a 13 metros." (Manuela Ferreira Leite, referindo-se a José Sócrates e à economia portuguesa)

Mais um problema que o país tem de resolver e também uma oportunidade de negócio para o mercado dos insuflados. Produção de bóias de salvação para quem necessita, no mínimo, de um assessor de comunicação. As frases multiplicam-se, as gaffes aumentam e a credibilidade vai esmorecendo dia para dia. Como diz o ditado é nas pequenas coisas que uma pessoa tropeça, já que as grandes estão à vista. Manuela Ferreira Leite está a usar o método inverso à sua imagem rígida, fria, supostamente convincente e recta. Se em política tudo vale, então não deve mesmo fazer diferença a questão da ética e da separação dos poderes da comunicação. Por mim, continuo a observar se é a água que sobe ou se é o nadador que chega à montanha. Quanto às bóias, tenho uma de salvamento e sei nadar, mas parece que o que necessitamos é mesmo de salvação no campo das ideias e das competências.

6 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Hoje fui ao barbeiro. Um militante ferrenho do PSD, de bandeira e crachá. Dise-me, enraivecido: naquela mulher não voto nem morto.
Sai de lá um pouco mais aliviado.

Mike disse...

Se há coisa que jamais lhe poria na mão, GJ, é um bisturi. (gargalhada)

GJ disse...

Mike, não vejo porquê? Eu sou uma rapariga muito pacífica...ou será porque tem medo que eu fure a bóia?

GJ disse...

Carlos, essa é a questão. O PSD até podia ou pode ganhar e é desejável que o país tenha um partido conservador forte,mas também tem de ter líder à altura. Mesmo que MFL seja uma técnica competente, não chega para alimentar um partido e ter perfil para governar o país.
As tais bases de que ela tanto gosta, estão perdidas e andam à solta e vão votar em branco

Mike disse...

Uma moça muito pacífica mas se escreve cortando tão cirurgicamente... ;D

GJ disse...

:)))