12/09/09

Zero a Zero ganha o Benfica

Matar o pai e a mãe para depois dizer que é órfão, foi uma tentativa de gargalhada duvidosa. O apagão do SNS no programa da verdade é uma gargalhada repetida, mas interessante. As políticas de privatização da saúde e da educação, são piadas bem apanhadas em conjunto com a frase da doutora que não gosta do SNS. O melhor da noite foi a definição de SNS. Para que se saiba, não é Serviço Nacional de Saúde, mas Sistema Nacional de Saúde e aqui está toda a diferença. Um serviço presta-se um sistema constrói-se, um serviço nacional é um direito do cidadão e um dever da governação, um sistema é um esquema que pode ser delineado de formas diversas e de acordo com as variáveis e as necessidades assumidas. Um sistema pertence a quem o pensa e tem de ser testado, por isso não é um dado adquirido, nem um dever assumido. Pode ser alterado e rasgado se não der certo. A revisão do sistema depende também da política subjacente, já o serviço é o resultado do sistema e da política instituída. Nacional diz respeito ao país e ao povo, se for serviço é um direito aplicado a todos. Já o sistema nacional é um conjunto de políticas que vão ser testadas e postas em prática conforme a melhor racionalidade e eficiência, neste caso económica. A saúde é uma necessidade de todos, o serviço de saúde é um direito de todos, o sistema depende da vontade de quem governa e quanto à eficiência resulta da qualidade dos agentes que a estudaram e dos outros que a testaram. O serviço depende da qualidade dos agentes que a executam e que no caso da saúde ou são os médicos ou são os agentes económicos que asseguram os cuidados de recrutamento dos profissionais junto dos privados. No fundo, o que queremos saber é se o público por si só pode responder às necessidades de quem o utiliza, e se o privado é alternativa a quem o procura. Por outro lado, se o endividamento do País permite mais despesa por parte do Estado, ou se a privatização da saúde e da segurança social são inevitáveis. Ping-Pong para lá e jogada para cá, Sócrates e Ferreira Leite não saíram do empate.

9 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Desta vez, não concordo muito consigo, GJ. em minha opinião, Sócrates ganhou claramente o debate embora em termos de resultado final, no dia 27, isso lhe deva ter servido de pouco.
A frase com que começa este post não pode ser proferida por uma mulher que petende ganhar as eleições. É demasiado...(bem é melhor não classificar)para uma PM.
Gostei da clarificação que fez entre Serviço Nacional de Saúde e Sistema Nacional de Saúde.
Bom fds

Grande Jóia disse...

Carlos, como lhe disse no Delito, estou de acordo que em termos de prestação televisiva Sócrates esteve melhor, no entanto, não trouxe grandes avanços para o dia 27 daí eu ter considerado um empate. Por outro lado, a frase é uma triste figura para o PSD e que não pode ser dita. Era isso que eu queria focar, não me regozijo com ela. Alterei as palavras para não deixar dúvidas sobre o meu pensamento.
Bom fim de semana.

RAA disse...

Se ela ganha, quem governará? O Cavaco?...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Afinal estamos de acordo. Interpretei mal o começo do seu post e peço desculpa. Apesar de ganhar o debate, Sócrates não vai lucrar nada com isso no dia 27. O páis perderá com a vitória de MFL ou Sócrtaes mas, apesar de tudo, seria um país melhor com Sócrtes.

Grande Jóia disse...

Carlos, estive a ler a entrevista de Mira Amaral ao "i". O estado do país resume-se nestas palavras:
" O ex-ministro do PSD admite votar em branco apesar da simpatia pessoal por Sócrates. E lamenta que não haja política económica em Portugal".
E acrescenta "Não vejo no PS e no PSD capacidade para tirar Portugal da crise".

Grande Jóia disse...

RAA, a resposta à questão de todos nós também passa pelo que disse acima quando citei Mira Amaral. Um péssimo sinal, que antigos ministros PSD admitam votar em branco.

Mike disse...

Estou de acordo com o Carlos sobre o vencedor do debate. Mas o resultado é Sócrates -1; Manuela -2... (nem chegam a 0-0, GJ).

GJ disse...

Mike, o que achou do cenário? O Pedro Rolo Duarte tirou uma fotografia que colocou no blogue.

Mike disse...

Na altura achei-o fraco, cinzento, tristonho. Fui espreitar a foto do Pedro Rolo Duarte... e percebi o que tinha achado na altura. Safa, GJ, isto pega-se, até contamina cenários.