01/01/10

O meu amor por você,Cidade

Estou no sítio certo. Estou no Porto a cidade que me abrigou e me abraça sempre que eu necessito. Ela cativou-me, eu entreguei-me, sou feliz. Podia ter Paris, Nova Iorque, Londres, Madrid ou São Paulo. Podia ser em Ottawa, Chicago ou arredores mas é Porto, não é Lisboa, não é Wawa. Por ti, cidade da minha vida, eu tenho este amor, mas não me perguntes coisas que eu não saberei explicar. Deixa, apenas que a música nos embale neste ano que agora começa. Feliz 2010!

8 comentários:

Ana Paula Sena disse...

:)) Sempre que vou ao Porto, fico presa do seu encanto.

Que bonita homenagem à cidade, para entrar de uma forma lindíssima em 2010!

Bom Ano, GJ. Um abraço.

Mike disse...

Não tenho esse amor pelo Porto. É mais uma paixão de dois eternos apaixonados que vivem longe um do outro mas que mantêm uma atracção durante anos. :D
(A GJ é uma moura degenerada!... muitos risos)

Luísa disse...

…… (silêncio ligeiramente penalizado, mas muito compreensivo) ……

ana v. disse...

Gosto imenso do Porto, mas não sei se gostaria de lá viver. O Rui Veloso quase me convence com este Porto Sentido (uma das melhores canções que já se escreveram em português, para mim) e as suas palavras sentidas também ajudam.
Um feliz e triunfante 2010, GJ!

Rita Roquette de Vasconcellos disse...

À Beira - Mar com muitas saudades
Bom Ano

bjs
Rita

M Isabel G disse...

Olá sweety:)
Ai que temos tanto que falar!!:)
Nada de caizas douradas com grandes laços, mas falar. Coisas de mulheres

Si disse...

Só as grandes almas têm esta paixão assumida pelo Porto, afinal, a cidade de onde Portugal começou a ser construído.
Houvesse mais pessoas com este amor por ela e não teria chegado à infeliz degradação de que hoje padece...

GJ disse...

A todos os meus amigos devo comentar o seguinte:
A cidade do Porto representa a minha libertação em relação ao poder materno e paterno, a entrada no mundo da liberdade universitária, o início da vida adulta, a felicidade de dar ao meu pai o primeiro neto tripeiro nascido na freguesia de Sto Ildefonso, doze mais tarde nasceria a segunda tripeira na freguesia de Cedofeita e mais tarde o regresso a casa depois de ter vivido fora do país. Por isso o meu amor pela cidade é grande. A cidade está cheia de memórias, de acontecimentos, de passagens e recolhimentos, alegrias e paixões, de pessoas, de causas, de ameaças, de sugestões. Por isso, meste momento dificil da minha vida ela é o sítio certo porque me conhece e me devolve o seu amor, a sua amizade, a sua compaixão, a sua alma.