05/05/10

Diabo e anjinho

Tinham-se esquecido de me dizer que os malvados dos medicamentos nos fazem inchar até parecermos gordas, horrorosas e belas ao mesmo tempo. Durante o frio a moda estava de feição para os conjuntos que o Sr. Jóia apelidou "a toilette da doença". Leggings e camisolões confortáveis, elásticos na cintura e de vez em quando para as ocasiões mais formais aquelas invenções que nós mulheres sabemos usar para disfarçar a falta de vontade de nos arrebicarmos. Assim foram andando uns meses que entre idas ao hospital e ensaios de fisioterapia o que queria era tudo desde que fácil de usar. Com o tempo mais ameno e o calor a apertar iniciei o veste despe e... não temos nada que sirva. Um desespero de ficar com os cabelos em pé. Coisa que nem por isso me deixa mais confortável. Vai passar dizem as boas almas que me rodeiam é da cortisona, vai desaparecer quando terminarem os tratamentos. Claro que quando terminarem os tratamentos teremos passado o verão e esta história é como durante a gravidez. Todo o quilo acumulado não desaparece com o nascimento da criança, ficamos gordas, horrorosas e ao mesmo tempo belas. Constatado o facto, não só eliminei os doces que andavam a fazer-me um gostinho especial como o pão maravilhoso que me ia alimentando o dia. Pelo caminho deixei os queijos que uma alma não pode tirar tudo e concentrei-me nos conselhos do meu amigo Póvoas que nos manda comer com sabedoria, continuidade e resignação. E o resultado já se começa a perceber, pelo menos foi o que senti esta manhã quando à terceira tentativa encontrei uma toilette que não era de doença e que me fez sorrir de contentamento enquanto me devolvia a sensualidade e auto estima necessárias para me arrebicar com mais olhos e maquilhagem que o habitual nos últimos tempos. Até calcei uns sapatos de tacão porque mulher que se preze, não pode deixar de ser um diabo e um anjinho em pessoa por muito tempo.

15 comentários:

Luísa disse...

Querida GJ, se o que distingue o anjinho do diabinho são os tacões altos (do segundo), então já tenho cativo o meu lugar no cortejo celestial. Quanto às dietas, são metade da vida de quase todas as mulheres, por uma razão ou por outra. Eu cá ando na minha, depois dos descontrolos da mudança de idade. Mas, minha querida Amiga, o que espero é que, sem grandes sacrifícios dietéticos, «reentre» calmamente, na sua «velha» roupa (como na sua «velha» normalidade). A vida dá-nos permanente luta, e por isso sabem tão bem estas pequenas (e grandes) vitórias. :-)

Dreamer disse...

Gostei de ler. É assim mesmo: pensamento positivo!

bacouca disse...

GJ
Também eu estou a passar por essa fase: readaptações a muita coisa, até no vestir e calçar. Quando olho penso: como foi possível ter tanta variedade? Para quê? Porque podia e dava-me prazer. Agora é escolher menos mas ter em conta acima de tudo o conforto e continuar a sentir-me bem. Nova fase, novo desafio! E um deles tambem passa por perder uns quilitos!
A alegria e a esperança vão ajudá-la!
Beijo

TERESA SANTOS disse...

Cara GJ, essa "história" das dietas também eu conheço.
Mas quando, após os sacrificios todos, subimos para a balança e ela diz: "menos 5 quilitos", e cabemos na roupita, e andamos mais leves, aí, pensamos: "sacrificio abençoado"!
Abraço.

Mike disse...

Por isso é que ando a dizer que os homens são uns anjinhos, GJ.
Aliás, a este magnífico texto aponto apenas uma crítica. "... mulher que se preze, pode ser um anjinho em pessoa por algum tempo". Assim sim, parece-me correcto. (risos)

GJ disse...

É isso mesmo, Luísa, reentrar na velha normalidade. E esta implica, também, a saga das dietas.:D

GJ disse...

Dreamer, um abraço.:)

GJ disse...

Isso mesmo, Bacouca, alegria e esperança.:)

GJ disse...

Outro, Teresa.;)

GJ disse...

Os homens uns anjinhos, diz o Colega?)))

RAA disse...

Tão coquette, GJ, luminosa e coquette :|

GJ disse...

RAA, perspicaz como sempre. :D

M Isabel G disse...

Deixe lá isso do inchaço, amiga
Isso não importa. O que importa é que esteja fina e bem disposta para uma esplanada à beira mar com um chapéu daqueles chiques e óculos escuros...
Eu já não logo nada a essas coisas...

M Isabel G disse...

E olhe amiga:
Cortei o cabelo curto e deixei de o pintar. Portanto, como tenho muitos cabelos brancos, tenho o cabelo acinzentado o que até dá um certo ar bcbg, mas não é para todas:)
E acredite que me sinto mto bem:)

GJ disse...

Um chapéu chique que também não é para todas.;)