21/05/10

A quimioterapia

Fiz esta semana o último tratamento de quimioterapia e que consta do protocolo proposto pela equipa de Oncologia do Hospital de Santo António, no Porto. Termino assim a primeira parte do programa, que será seguido com radioterapia no IPO. Apesar da natureza das sessões sinto algum pesar em deixar quem me tratou muito bem, com enorme consideração, com humanidade extrema e para quem eu era a Dona L. Tinha um nome, tinha um telefone e uma cara para telefonar em caso de emergência, e que logo após a primeiro sessão as enfermeiras identificaram. E porque o doente oncológico passa muito tempo no hospital entre sessões que duram cinco horas, e nalguns casos mais, fazendo hemogramas regulares e exames diversos, o pessoal de enfermagem acaba por se tornar um amigo. Muitas horas passei e falei com aquelas jovens enfermeiras, dedicadas profissionais que também se afeiçoam a nós e partilham as suas vidas, os seus filhos, as suas festas de casamento, as suas dores por um regime que não lhes confere o vencimento de licenciadas, elas que passam doze horas seguidas no espaço de uma sala, com a responsabilidade de administrar sôros que ao mínimo erro nos podem danificar.
A quimioterapia faz parte do caminho para a cura, termino o ciclo que espero não voltar a conhecer mas a luta ainda vai no início, e apesar de confiante sinto que todo o doente oncológico fica de alguma forma preparado para as eventuais notícias menos boas, que um dia possam surgir. Acredito que terminou uma parte da fase menos agradável da minha vida, e dos que me rodeiam, não deixo no entanto de pensar que tudo tem um período de adaptação, e que ainda vai levar algum tempo até me sentir semelhante ao que era. Os efeitos secundários e negativos da quimioterapia podem ser ultrapassados com alguma graça e elegância, no fundo eles são apenas laterais, os outros, mesmo que de má raça, dão-nos fé e alento.

4 comentários:

Dreamer disse...

Parabéns por ter vencido esta étapa!

GJ disse...

Obrigada,Dreamer.:)

Mike disse...

Pronta para escalar montanhas? Pode ser em Vancouver. :-)

GJ disse...

Quase...:)