13/11/10

Amor peregrino

Não foi fácil regressar mas aqui estou, as malas já estão desfeitas mas o pensamento ainda vagueia por outras bandas. É sempre assim quando partimos por tempo incerto, temos de redescobrir o que deixamos e reanimar o que ficou enquanto choramos o que deixámos. Encontro motivos para querer continuar mas falta de energia para quebrar o que deixei e pergunto-me se não é demasiada liberdade que tenho em mãos face a tantas outras pequenas realidades. Pergunto-me se não é demasiado alguém estar a fazer uma peregrinação por mim. Eu que apenas sou corpo e mente e um dia me transformarei em pó. E pergunto-me se valho tanto sacrifício, eu que felizmente me sinto bem, que acredito estar curada e que sou apenas uma pequeno grão no solo. Não é fácil aceitar e agradecer os sacrifícios de quem nos quer bem sem termos de os justificar ou questionar. Acima de tudo não há palavras, há actos e há amor.

9 comentários:

Luísa disse...

Querida GJ, bons olhos a releiam. Quanto às perguntas, diria apenas que uma pessoa consciente e bondosa merece tudo de melhor. E se a vida, na sua aparente indiferença, não premeia verdadeiramente, nem verdadeiramente castiga, as outras pessoas, que lhe estão próximas, devem querer e saber fazê-lo, sem sacrifício, por puro impulso justiceiro. Penso, de resto, que é deste impulso que, se não nasce, pelo menos se alimenta o amor. :-)

GJ disse...

Viva, Luísa! Que belas palavras me deixou, é verdade que o meu peregrino vai a caminho alimentando-se de impulso e de amor. :-)

Mike disse...

Ó Colega, as mentes femininas são deveras complexas... aceite e agradeça sem mais justificações ou questões. Talvez começar por não pensar em sacrifícios, quando não é disso que se trata de quem nos ama. Mentes complexas, as femininas... ;-)
(Gostei de a ler, GJ). :-)

GJ disse...

Ai,a mente dos homens é tão simples...
Agora deixe-me dizer que gostei mesmo de o ver por aqui, ó Colega.;D

Dulce Braga disse...

Os atos de e por amor não carecem palavras, nem as de gratidão, apenas amor de retribuição.
Estou feliz por voltar a lê-la:)

Austeriana disse...

GJ,
Welcome back! We missed you! :)))

Abraço.

Rita Roquette de Vasconcellos disse...

GJ a ausência foi grande ... mas era preciso.
Só para dizer que voltei e vim espreitar os amigos
Abraços

ana v. disse...

Que bom vê-la de volta, GJ! E por uma vez estou de acordo com o Mike: aceite simplesmente o que lhe dão por amor, e não lhe chame sacrifício. Eu sei, eu sei, é difícil para nós, mulheres, aceitar sem questionar. Mas o seu peregrino merece o esforço, não merece?
:-)

GJ disse...

Merece, Ana.:-)