09/10/09

Corrida para o Nobel da Paz

Barack Hussein Obama
Conforme eu escrevi aqui há uns tempos, Barack Obama seria um dos galardoados com o Prémio Nobel da Paz. Não antecipei, no entanto, que fosse o próximo. Está de parabéns o Homem que correu não só para a Presidência da América, mas para um lugar diferente no Mundo. A cor não interessa, eu própria já o defini como uma pessoa sem cor, no que respeita à essência do ser. Por outro lado se o Brasil comemora daqui a uns dias o "Dia da Consciência Negra", então deverá ser importante que ganhem muitos prémios Nobel e que cheguem ao poder muitos homens e mulheres de diferentes cores e raças. Parabéns, também, a todos os que entenderem que o prémio lhe era merecido, mesmo que a política ou a conveniência de interesses tivesse tido um lugar a dizer.

12 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Aplaudo, mas devagarinho. Penso que foi um prémio por antecipação e isso nem sempre é bom sinal.
Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Mike disse...

Eu aplaudo ainda mais devagarinho que o Carlos. Bom, a GJ sabe que eu e o nosso amigo Obama temos uma relação de respeito, admiração mas com reservas à mistura. Enfim, estou para aqui a desconversar, quando o que queria dizer é que acho o prémio prematuro.

GJ disse...

Estou de acordo com os dois. Está a ser tudo demasiado rápido com Obama. Não quero agoirar, mas é mau sinal.

GJ disse...

Alguma encomenda para Itaím?)

RAA disse...

GJ, percebo o espanto -- foi uma surpresa para todos --, mas a academia norueguesa ao premiá-lo está também a dar-lhe um importante apoio. E depois os académicos noruegueses serão pessoas como as outras, acham, como eu acho, demasiado bom uma cáfila de energúmenos e bandidos, de Bush a Rumsfeld, ser substituída por alguém que não se limita à vulgaridade espertalhona dum Sarkozy ou dum Gordon Brown.
Não quer votar por mim na Elisa?)

Austeriana disse...

Merecido. Por um lado, concordo com os comentadores anteriores, no sentido em que tudo parece acontecer a este Homem com muita rapidez. Por outro lado, o futuro é agora...
Aprecio sobretudo a sensibilidade misturada com a "veia salobra" (quando lhe pisam os calos) de Obama. Fiquei feliz com a eleição para Presidente e agora com a atribuição do prémio.

ana v. disse...

Concordo inteiramente, GJ. Embora admita que é um bocadinho prematuro, considero-o um prémio justíssimo pelo efeito pacificador e de esperança colectiva que Obama tem tido no mundo (pelo menos e para já, no mundo ocidental).

Outra coisa: Não tenho passado por aqui porque pensei que estava de viagem!
Um beijo

GJ disse...

E estou, Ana. Mas nas viagens de trabalho o portátil anda em viagem...

fugidia disse...

Eu não vejo como prematuro porque vejo este prémio, para além do mais, como uma forma de o responsabilizar (ainda que não seja esta a razão, em geral, da sua atribuição).
Creio que a partir de agora o peso do prémio o acompanhará e pesará nas suas decisões e, se assim for, será excelente.

Dulce Braga disse...

Se o prémio servir como um condicionador, desempenhará um excelente papel.
Bom final de semana prolongado, já que está no Brasil;)

Ana Paula disse...

Olá, GJ :)

Também eu pensei que estivesse ausente.

Quanto a Obama e ao Nobel da Paz, também eu aplaudo, mas devagarinho.

Um abraço e bom domingo!

vbm disse...

Todos, pelo que vejo,
aplaudem entre surpreendidos
e receosos de algum efeito perverso.

:)

No entanto, eu, que igualmente
me surpreendi e achei exagerado,
meditei, aposteriori, que realmente
um prémio nobel da paz não pode
limitar-se a distinguir políticos que
assinem armistícios ou tratados
de paz, mas sim comprovados esforços
pela paz ou, até, simples
esperanças de paz...

(Tão constante é a guerra!)