20/04/09

El Comandante e Obama

As árvores morrem de pé e Fidel ao abrir as portas a Obama também!
Acabar com o embargo a Cuba, permitir que americanos viagem livremente àquele país e que os emigrantes cubanos possam enviar sem restrições verbas para os seus familiares significa eliminar barreiras e libertar Cuba. Afinal o último passo à actual situação estava destinado não a Fidel mas à administração americana, como sempre soubemos. Após os passos dados internamente em Cuba, só podia vir do exterior e do país que sempre esteve na origem do problema e a Obama coube apenas fazer o que os cubanos que nele votaram esperavam, incluindo os dirigentes de Cuba.
Assim Fidel Castro morre de pé, mantendo o seu orgulho até ao fim. Apesar da ideologia ultrapassada e duvidosa, Fidel não sai derrotado aos olhos do seu povo e ainda poderá ouvir os seus compatriotas dizer "Nosotros, los cubanos, lo debemos todo al Comandante!"

4 comentários:

Mike disse...

Eu tenho uma relação estranha com El Comandante, GJ. Se por um lado a lucidez me mantém a clarividência de conseguir ver o que está mal, por outro lado, não consigo evitar uma certa simpatia e admiração pelo velho Fidel. Se calhar também estou a ficar como ele... velho. ;D

Grande Jóia disse...

O velho Fidel representa o nossa pedra filosofal,Mike. E o Che a força do sonho. Acredito que todos temos os dois lados e por isso é difícil não termos admirado mesmo que pontualmente esses símbolos. Por isso é que tal como as arvores ele morre de pé. E a idade faz-nos andar para trás no tempo ou seja, reviver os arrebatamentos e paixões passadas, incluindo as políticas.

Mike disse...

O problema é que eu acho que ainda não tenho idade para isso... (riso abafado)

Grande Jóia disse...

Não quer ter...eu cá também não. Fiz como a outra aos 12 anos já era mãe (risos amarelos)