07/07/09

Tributos e amizades

Quando somos muito jovens tudo nos parece fácil de resolver cortando o mal pela raiz. Apesar de ser verdade, que há situações em que não devemos deixar crescer a árvore e em que a raiz deve ser cortada logo no início, outras há, em que deveríamos parar para pensar e o tempo ajudaria a não deixar de falar com muitas delas. Assim, vamos dando cabo de muitas árvores que nunca chegam a nascer e de muitas raízes que não seriam, necessariamente, daninhas se lhes tivéssemos dado uma oportunidade. Também é por isso que quanto mais jovens mais dados a fazer aquilo que os mais velhos reprovam, e também a ser mais activos e independentes, mais francos e espontâneos e menos diplomáticos. À medida que os anos vão passando ficamos mais sabedores. E ficamos mais sensatos ao deixar crescer raízes que nunca seremos capazes de cortar, mesmo que nos incomodem de vez em quando, ou que nos levantem a relva e nos deixem marcas no soalho.
Não sei medir os sentimentos, mas sei que as amizades não devem ser cortadas mesmo que os ramos da árvore nos tapem o sol de vez em quando. À medida que vamos ficando mais conhecedores, verificamos que não temos tempo para plantar e ver crescer as raízes da árvore noutro lugar e noutro tempo. E também sei que é por isso que devemos regar árvores e plantas, sem cobranças ou deveres, mesmo que a vez até possa não ser a nossa.
A nossa vez chegará, no dia em que soubermos fazer tributos e sentirmos que por nós, pelo menos uma ou duas amizades o irão igualmente fazer.Todos temos as nossas árvores, os nossos arquitectos e os nossos artistas e não há melhor tributo do que o contributo que essa amizade nos poder oferecer!

9 comentários:

Mike disse...

Apeteca-me fazer um tributo a este texto, só que não sei como, GJ. :)

Mike disse...

... Apetecia-me, claro.

Rita Roquette de Vasconcellos disse...

Tributo
Então Mike, vamos fazê-lo juntos...
Assim:

Fecha os olhos.
e de olhos fechados
sente o teu respirar
Respira fundo
Sem pressa
Assim devagar

bjs


Ao ab

Rita Roquette de Vasconcellos disse...

errata

Ao ab
( ficaram umas letrinhas por apagar)

GJ disse...

Só falta o desenho, mas se fecharmos os olhos e respirarmos fundo e sem pressa ele está mesmo aqui ao nosso lado. :)

Rita Roquette de Vasconcellos disse...

:-)

eh eh eh



bj

Catarina disse...

"Todas as coisas que amo deixo-as livres.Se voltarem, é porque as conquistei. Caso contrário, nunca, realmente, as possuí"
Graça Sant'Anna
Acho que este é melhor tributo que posso fazer a este belo texto.

GJ disse...

Obrigada, Catarina :)

ana v. disse...

Como me identifico com este belo texto, GJ! Ainda bem que crescemos e aprendemos, a verdade é essa. :-)