25/05/09

Sardinha assada com punhos de renda

Há quem lhe chame crise mas é sempre bom ver como se pode dar a volta ao texto e do negativo fazer uma solução contrária. Pelo menos uma vez na vida quem habitualmente não se lembraria de entrar no "Eleven" vai poder pelo menos ver como é. A iniciativa é interessante mas fica por aqui. No futuro são os mesmos que continuarão a frequentar os locais onde a democratização não é assim tão bem vinda quanto parecerá a quem agora aproveitar a boleia.
Atitude e acção muito diferente em vigor há já algum tempo no antigo "Bule" e agora reformado e chique restaurante de alguns dos jogadores do FCP. Ali na Foz, o jogo e o futebol é diferente. O arrozinho de pato, especialidade antiga da casa, tem 50% de desconto em determinados dias da semana. Mesmo assim, uma refeição para dois com vinho, sobremesa e direito a um número razoável de empregados atentos ronda os 50 euros. Se não tivesse o tal desconto não seria o dobro mas passaria ao patamar seguinte. Pergunta existencial: quem é que pode? Os mesmos do costume.
Democratização dá-me ideia que só no Senhor de Matosinhos ou nos Santos Populares com a sardinha assada, essa sim para todos lado a lado, mesmo que as bolsas sejam diferentes e as toilettes opostas.

19 comentários:

Luísa disse...

Querida GJ, não estou certa de estar a interpretar correctamente o seu «post». Significa que está a correr uma iniciativa de desconto em restaurantes caros? No Eleven não me surpreende. Sempre o achei, na gama alta da restauração, um pequeno «bluff», demasiado caro para a real qualidade do serviço (um serviço, de resto, ligeiramente presunçoso). Também se pagava a vista, se calhar. Presumo que, por estes dias, esteja às moscas e até condenado, se não faz uma aproximação ao cliente «executivo médio», pelo menos. Quanto à democratização, duvido que esteja nos planos, por muito «democráticos» que sejam. A crise há-de passar, e é melhor não encher agora o estabelecimento de povo, para não ter de o enxotar depois. ;-)

Grande Jóia disse...

Está a interpretar bem,Luísa. Uma série de restaurantes aderiram a um plano de preços mais baixos para atrair pessoas. Mas diz bem, não vale a pena atrair para depois enxotar. É o marketing de experiências a funcionar. O preço normal por pessoa no Eleven é de 100 euros, diz a consulta ao menú.

Si disse...

Tenho de voltar ao Bule.
Afinal, foi aí que fui pedida em casamento!!
20 anos depois, com 50% de desconto e logo em arroz de pato??
Mas que grande joia foi esta senhora em me fazer saber isso...
Aceita reservas?? ;-D

Si disse...

Ah! Esqueci-me de referir:
Para além de detestar sardinhas assadas, olhe que no Senhor de Matosinhos, não chegará aos 50 euros, mas que pedem um balúrdio por cada 1/2 dúzia, nas tasquinhas da avenida, isso pedem!!

Mike disse...

Estou com a Luísa em relação ao Eleven. As (poucas) vezes que lá fui, fi-lo por business. Gosto do Bule (apesar de não ter sido pedido em casamento, nem ter lá pedido a mão de ninguém... risos), e do Senhor de Matosinhos. Gosto de arroz de pato e de sardinhas... e de preços mais baixos em bons restaurantes. Há que aproveitar, mesmo que depois seja enxotado. (risos)

ana v. disse...

E eu estou com ambos: acho o Eleven pretensioso e caro de mais para o que oferece, e só tem 2 coisas que me fazem abrir a boca: a vista, e um candeeiro/escultura da Joana Vasconcelos (acho que é dela) - uma arrecada minhota gigante de vidro iluminado em tons de laranja, linda.

Mas estes dias estive no Porto: fui ao velhinho e eterno Chez Lapin, que adoro, ao D'Oliva, ao Oporto e ao Cafeína. Suponho que haverá outros mais novos e mais famosos agora, mas estes são os que conheço melhor. :-)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

É bom lembrar que alguns desses restaurantes só fazem descontos em alguns pratos e outros só concedem descontos em número limitado de refeições.
Gostava do "Bule", mas já lá não entro há muuuuuitoooo tempo.
Fui uam vez ao Eleven e nunca mais. Não vale o preço...

Grande Jóia disse...

Si, 20 anos depois eles devem fazer 70% de desconto. Só tem uma coisa o ambiente está mais escuro e olhe que não tem nada a ver com a idade. É mesmo da decoração ;)

O preço das sardinhas pode chegar a valores upa upa ...

Mike, em relação aos preços é de aproveitar os petiscos propostos. Já em relação ao pedido de casamento se o meu amigo estiver para aí virado não seremos nós a impedir,até damos uma força, marcamos mesa e tudo, mas temos de aprovar as sandálias dos dois :)))

Ana, esses restaurantes são sempre bons. Eu gosto muito do d'Oliva e do Cafeína e não temos surpresas negativas.
Nos últimos tempos têm aberto muitos espaços em Matosinhos e na baixa do Porto. A rua da Galeria de Paris está famosa, a Miguel Bombarda tem restaurante novo. E também um muito interessante em Gaia, que esquecemos frequentemente. A Horta dos Reis em especial pela localização.

A Mafalda Mendes de Almeida tem um Guia onde indica uns restaurantes alternativos giros.

Carlos, necessitamos da sua ajuda. Será que o Aleixo ainda é o melhor sítio para comer filetes de pescada com arroz de feijão? E o Garrafão para os filetes com batata frita e a Boanova para o chá, scones e encontros fora de horas e longe dos olhos?
Só um tripeiro a viver em Lisboa é que sabe destas coisas com perfeição ;)

Mike disse...

Ana, curiso teres ido e mencionado o D'Oliva, o próximo restaurante que eu irei postar. Gosto dele, e mesmo achando que não é uma grande referência gastronómica, sinto-me lá bem. :)

GJ; quanto ao pedido e marcação de mesa, agradeço do fundo do coração mas não se incomodem. (muitos risos)

fugidia disse...

:-D

(eu só aceito pedidos de casamento com cantatas, GJ; e nunca de um homem que use sandálias - risos abafados) ;-)

Luz disse...

E eu daqui só babando no menu! Ai céus!

Si disse...

Pois Mike, fique a saber, que se não o fez, devia! E já que tem um filho, ensine-lhe!
Se eu confessei aqui este 'petit fait divers' da minha intimidade, é porque, sem dúvida, o Bule tornou este acontecimento ainda mais especial!
É que não é todos os dias que se recebe uma anel de noivado antes da sobremesa e se faz o empregado ficar imóvel, com dois pratos de 'charlotte de chocolate' na mão, hesitante em colocá-los na mesa, por não saber a causa de umas lágrimas rebeldes que transbordaram a barragem.... ;-D

Grande Jóia disse...

Si, isso mesmo ensine o Mike a fazer as coisas bem feitas...:)

Mike disse...

(risos, muitos risos)
Si, o que eu já me ri...
Muito romântica a situação. Eu já fiz dois pedidos de casamento, mas nem pensem que vos conto como foram... (gargalhada)

Grande Jóia disse...

Assim não vale ... tem de contar um pedacinho ;)

Si disse...

Agora é que estragou tudo, Mike!
Então não sabe que o pior que pode fazer é suscitar a curiosidade feminina????
GJ, não o deixe escapar, por favor!! (gargalhadas muiiiiito sonoras)

Mike disse...

Estraguei nada... quem quase estragava tudo era o empregado com as chalottes de chocolate na mão prestes a cair... (risada)

ana v. disse...

Esqueci-me do fantástico Aleixo (ainda existe?) e da Casa de Chá de Leça (que adoro), talvez porque não fui a nenhum deles desta vez. A Horta dos Reis fica já marcada para a minha próxima ida ao Porto. Falaram-me também de um restaurante de fondues: A Máscara, mas não cheguei a ir lá. Conhece, GJ?

O que não conheço é esse guia da Mafalda. Vou procurar saber.

Estive só 4 dias no Porto, não dá para tudo... e algumas das refeições foram em casa de amigos. :-)

Grande Jóia disse...

A Máscara é na Av. Brasil mesmo em frente da Companhia das....uma loja de vestidos de noiva, caso o Mike queira acompanhá-la, Ana.:))
O restaurante é muito acolhedor e óptimo no fondue.
O Aleixo ainda existe, sim. O melhor é fazermos um roteiro de restaurantes.

Já agora o novo Bule chama-se Buhle e a decoração pertence ao Paulo Lobo, homem com muito bom gosto como sabem. E como eu gosto de vos dar todas as informações o Arq. Miguel Rebelo de Sousa é o autor da remodelação do edifício.
O Vitor Baía um dos donos.